Waldir Vieira - De um simples varredor ao maior Locutor do Brasil


Revista Sétimo Céu
Programa Waldir Vieira
Um programa feito com espontaneidade e carinho.

Um dos comunicadores de maior audiência do Rio de Janeiro continua com tudo em cima, e o programa Waldir Vieira é, hoje em dia, um dos mais ouvidos na tarde carioca. Das 13 às 17 horas a Rádio Globo transmite ao vivo o que Waldir chama sem modéstia nenhuma (para não se achar falso) o melhor programa de rádio.
Não é pretensão nenhuma mas sei que meu programa não é cafona, não é sisudo. Ao contrário, é um programa livre e tudo acontece com espontaneidade.
Aqui eu falo de coisas populares, não vulgares. Não me preocupo com política, mas se for preciso dou uma pichada nos que fazem política, tudo a favor e pelo bem da coletividade.

O programa Waldir Vieira instrui, diverte fala uma linguagem acessível, sem falsidade.
Tudo é feito ao vivo, de improviso porque Waldir gosta mesmo da espontaneidade do que sai de dentro na hora.
No meu programa nada é premeditado. As coisas vão acontecendo na hora e no momento exato e acho que esta é a verdadeira fórmula do sucesso que alcancei. O dia inteiro recebo telefonemas de donas-de-casa, que dão uma opinião sincera sobre a programação, e o que nos fazemos é sempre de acordo com a vontade do público. Há pouco tempo, por exemplo, tiramos do ar o quadro "Eu vi um disco voador", por que estava se tornando cansativo, repetitivo. Todos os que chegavam a mesma coisa e os ouvintes começaram a se cansar.
Tiramos também o "Papo da Novela" onde atores da rádio imitavam atores da TV Globo. No principio deu certo, era gostoso porque a novela "Pai Herói" estava em evidência e tinha tipos que a gente podia explorar bastante. Com "Os Gigantes" ficou mais difícil e os ouvintes nos escreveram pedindo para eliminar o quadro. O programa Waldir Vieira é isso: comunicação total, integração perfeita entre público, ouvinte e apresentador. O programa é do povo, feito para ele; e se é assim, nada mais justo que todos os que nos prestigiam dêem sua opinião. Por isso o resultado que o IBOPE nos trás; a audiência é exatamente o dobro do segundo lugar da Radio Tupi. Sem falar nas cartas que recebem uma média de 1.500 por dia, com programação normal, pois agora estamos fazendo uma promoção da coleção de discos de Roberto Carlos e o número de cartas que chegam diariamente é de 3.000. Alguma dica especial? Não, apenas um pensamento que é uma regra a seguir! A gente deve viver intensamente cada momento da vida, porque quando o tempo passa, a gente verá que os cabelos grisalhos chegam e nada de bom fizemos para ninguém. Antes que isso aconteça o programa Waldir Vieira vai entrando diariamente nos lares, levando a sua mensagem de amizade e companheirismo.
- Waldir Vieira


Revista Sétimo Céu
De um simples varredor ao maior Locutor do Brasil.
Waldir Vieira

Não gosto de gênios, meu programa é povão.
Com 20 anos de profissão e 33 anos de idade, Waldir Vieira pode dizer que sempre teve o dom para o rádio. Nasceu em São Fidélis, no Estado do Rio de Janeiro, no dia 31 de janeiro de 1945.
Ele começou a trabalhar aos 13 anos de idade, em 1968 mudou-se para o Rio de Janeiro deixando a rádio São Fidélis, para percorrer praticamente todas as emissoras cariocas. Trabalhou como assistente de Haroldo de Andrade até conseguir um horário para o seu programa na Rádio Globo.
Muito curioso é que Waldir entre os quadros fixos de seus programas criou O quebra cuca, onde o ouvinte pode dizer qual o quadro mais chato que ele apresenta.
Isso não é comum nos programas de rádio, mas eu sempre quero saber a audiência do meu horário.
Entre as atrações faz também o Onde Anda Minha Gente, nesse quadro descobri que neste país tem gente que não sabe onde andam seus pais, parentes, irmão ou amores. Através de cartas consegui o reencontro de duas irmãs que não se viam a 68 e foi emocionante.
Nutrição é também um assunto discutido por Waldir Vieira que, com o auxilio de uma nutricionista, responde às cartas de donas-de-casa, num diálogo bem informal.
Não gosto de gênios no meu programa, pois é um perigo, gosto de pessoas que se comunicam diretamente com o seu público, que é o povão.
Casado há 13 anos com Ângela sua fã número um e com dois filhos Luciano e Lina, Waldir disse ser um homem realizado tanto na profissão como no casamento. E quanto ao fato do locutor de rádio receber milhares de cartas de amor ele não acredita, acho difícil, eu procuro desmistificar a imagem de artista que a gente passa, sou um trabalhador, e procuro me igualar a todos.
Quando Waldir Vieira abre o seu programa, todas as tardes às 13 horas, na Rádio Globo (Rio), nem ele mesmo sabe bem o que irá acontecer nas próximas 4 horas. É que, apesar de alguns textos já estarem preparados pela equipe de produção, Waldir improvisa o tempo todo. Seu temperamento agitado e bastante emocional leva o programa a um clima diferente dos outros similares. As mancadas ele reconhece que existem, mas isso serve para mostrar aos ouvintes que as coisas vão acontecendo realmente, durante o programa e que ele também é apanhado de surpresa. Os quadros de maior sucesso do programa são justamente o Onde Anda Minha Gente, que procura localizar pessoas desaparecidas e As Canções do Roberto Carlos e as Histórias de Cada Um, onde uma carta sorteada conta a história de um ouvinte envolvendo uma música do Roberto Carlos. Os dois quadros são feitos na base da emoção pura e simples.
É mesmo importante quando parentes que não se viam há 30 ou 40 anos, se encontram através do quadro Onde Anda Minha Gente, graças a uma carta que eu li. Isso é o que me gratifica. Ainda mais que as coisas acontecem aqui no estúdio, diante dos nossos olhos. Não posso deixar de ficar emocionado.
Daí o sucesso do programa e as centenas de cartas que recebe (ele é o comunicador que mais recebe cartas no rádio brasileiro). Mas, para Waldir esse sucesso foi através de muito sacrifício. Já que ele começou há 7 anos com um simples varredor da Rádio Difusora de São Fidélis (Estado do Rio de Janeiro) sua terra natal.



Waldir Vieira nasceu no dia 31 de Janeiro de 1945.
Filho de Antonio Vieira e Ana Lina Gomes Vieira.
Faleceu no dia 13 de Novembro de 1985.

Material enviado por Janio Braga


Comentários

  1. Muito bom seu blog!

    http://www.valdeirvieira.com/empreendimentos/

    ResponderExcluir

Postar um comentário