1965... Rio 400 - Rádio Globo 22 - TV Globo início

 1965
 IV Centenário do Rio de Janeiro
 Início das Transmissões da TV Globo
 1966
 Aniversário de 22 Anos da Rádio Globo

Cultura e Música
Década de 60 - O rádio AM assume as caraterísticas atuais. No lugar dos programas de auditório, aparecem programas de variedades comandados por locutores de boa voz e excelente estilo comunicativo. Haroldo de Andrade na Rádio Globo se torna o destaque.
Se popularizam os programas esportivos e os policiais - destaque para "Cidade contra o crime", da Super Rádio Tupi, apresentado por Samuel Correia e, num outro segmento, surgem as AMs de hit-parade, antecipando o formato "adulto contemporâneo" das FMs. A Rádio Tamoio AM era uma delas.

Outra emissora AM se tornava um marco do gênero, a Rádio Mundial AM, do Sistema Globo de Rádio, que em seus quadros tinha o lendário DJ Big Boy, depois repórter do jornal "Hoje" (Rede Globo) e coordenador da Eldo Pop FM, rádio de rock dos anos 70. Big Boy faleceu de ataque cardíaco com apenas 32 anos, em 1977, mas depois de dar sua forte contribuição em prol da divulgação da música norte-americana no Brasil.

Durante a época do golpe militar de 1964, que derruba o presidente João Goulart, diversas rádios do país tentam conclamar o povo brasileiro a se manifestar contra o regime. Entre 1964 e 1968 há diversas tentativas de contestação do regime, que no entanto se fortaleceria com o Ato Institucional Nº 5, anos depois.

A Jovem Guarda encontrava no rádio AM um espaço complementar ao da TV (vide o famoso programa que batizou o movimento e era transmitido pela TV Record, apresentado pelo cantor Roberto Carlos), e o programa do compositor, empresário e jornalista Carlos Imperial, "Hoje é dia de rock" (apesar do título, sabe-se que a Jovem Guarda era mais pop do que rock, e este estava na mesma época mais audacioso do que imaginavam os jovens brasileiros em sua maioria), se tornava um grande sucesso de audiência.
Era o rádio AM em seus momentos de "rádio jovem", algo que causa estranheza nos adolescentes da década de 90. O fenômeno da Jovem Guarda existia desde 1959, quando foram lançados os sucessos "Banho de Lua" e "Estúpido Cupido", na voz de Cely Campello. Só não tinha este nome. No ano seguinte, nomes como Renato & Seus Blue Caps, Demétrius e Sérgio Murilo apareciam fazendo o mesmo tipo de som, uma leitura brasileira do rock dos anos 50, com forte influência da música jovem italiana, sucesso entre os anos 50 e 60. Foi preciso a suspensão das transmissões esportivas da TV Record, em 1964, para ser criado um programa que batizaria e consagraria o gênero: "Jovem Guarda", apresentado pelo ídolo Roberto Carlos. Era um estilo ingênuo e conservador, comparado com o rock que era feito nos EUA e Reino Unido, às vésperas do psicodelismo, mas até para ser contestado pelos fãs mais exigentes de rock a Jovem Guarda teve sua razão de ser.
Leia mais sobre esse assunto em Uma breve História do Rádio AM no Brasil


Por Bruno Amorim / Rodrigo Bertolucci 16/11/2014
RIO — Enquanto ouvia “O trem das onze”, de Adoniran Barbosa —a música mais tocada nas rádios em 1965—, o carioca ainda tentava se acostumar com o seu novo status: havia cinco anos que o Rio deixara de ser a capital do país, devido à transferência do governo central para Brasília. As noites não eram mais na Lapa, mas na Copacabana da boate Le Bateau, com música pop a cargo dos DJs Big Boy e “Messiê Limá". Também era preciso se acostumar com o novo presidente, general Castelo Branco, empossado um ano antes, e com o novo regime, que ainda endureceria. Mas no aniversário de 400 anos, o Rio também ganhou presentes que ajudam a contar sua história, entre eles o Aterro do Flamengo, uma das mais importantes intervenções urbanas da cidade.
Construído com o material de desmonte do Morro de Santo Antônio, o Aterro é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e deu novo perfil à cidade.
Mas não foi só o parque que marcou o quarto centenário do Rio. O Museu da Imagem e do Som (MIS), na Praça Quinze, também foi um presente para a Cidade Maravilhosa. No entanto, o prédio que abriga o museu foi construído bem antes, para a exposição de 1922, que festejava o centenário da Independência do Brasil.
Leia mais sobre esse assunto em O Globo - Lembranças dos 400 anos do Rio de Janeiro

Por Henrique Veltman 03/05/2005
Logotipo da TV Globo 1965Eu estava lá, escrevia vários programas na Rádio Globo, dirigida então pelo Mário Luís, Rubem Amaral (Rubem Isaac Israel) e por meu irmão Moysés Veltman (A Escolinha do Caçula, Radio Folhinha Ford, A Cidade contra o Crime, entre outros). Corria o ano de 1962. E Roberto Marinho conseguiu do então presidente Jango Goulart a concessão do canal 4, que originalmente seria da Rádio Ministério da Educação.
Para montar a TV Globo, Roberto Marinho teve o apoio técnico e financeiro da Rádio Globo. Durante três ou quatro anos, todo o faturamento da rádio era investido na construção da telemissora. E uma figura notável destacou-se nesse período – a do general Lauro Medeiros, que havia sido chefe das Comunicações do Exército.
Antes de contratar Walter Clark e, mais tarde, outros executivos do ramo, convocou os profissionais que tinha à mão. Rubem Amaral, Mauro Salles e Moysés Weltman, foram os pioneiros da nova emissora.
A verdadeira história da Globo
Leia mais sobre esse assunto em Observatório da Imprensa - A verdadeira história da Globo

FGV CPDOC
Haroldo de Andrade e auditório no Programa Haroldo de Andrade. TV GloboEm 1965 estreou o Programa Haroldo de Andrade, desde então o campeão de audiência no horário das nove às 12 horas, de segunda a sexta-feira. Com debates e prestação de serviços, o programa tornou-se um dos mais cobiçados espaços da mídia carioca para a veiculação de opiniões e para a popularização de produtos e imagens públicas.
Seu titular passou a ser freqüentemente lembrado como alternativa de candidatura para cargos eletivos na cidade e no estado. Em 1977 foi premiado como “Melhor Programa da América Latina” pelo X Fórum Internacional de Programação de Rádio. No mesmo ano, Haroldo de Andrade foi apontado como a “Maior Personalidade do Ar” pela revista norte-americana Billboard, especializada em música e show-business.
Leia mais sobre esse assunto em FGV CPDOC

Maracanãzinho. O governador Carlos Lacerda corta o bolo em homenagem aos 400 anos do Rio
Concurso. Candidatas à Rainha do IV Centenário do Rio de Janeiro Maracanã. Barbosinha, capitão do Vasco, ergue a taça do Torneio Internacional do IV Centenário, após a goleada de 4 a 1 sobre o Flamengo
Automobilismo. O Grande Prêmio IV Centenário, no Circuito da Barra da Tijuca Sede da TV Globo. A emissora começou a funcionar em 26 de abril de 1965

Fotos do Acervo O Globo e Internet, Audios cedidos por Amigos e Internet.

0 Comentários:

Bem-vindo(a)
- Dúvidas? Deixe o seu email
Obrigado pela visita!


Escreva seu comentário: